Trecho de entrevista com Hayato Osawa Sensei

Tive a oportunidade de participar de um seminário de Osawa Sensei aqui no Brasil e de fazer todas as suas aulas no USAF Summer Camp 2011. É algo surreal observá-lo e saber um pouco de sua história.
Compartilho a mesma preocupação com o Aikido e me comprometo a buscar sua essência para poder contribuir com a sua preservação em seus intuitos originais. Pelo menos é que tento fazer sob a supervisão dos meus Senseis…
=D

Abraço galera! Boa leitura e reflexão!

Cadu

Por: David Halprin e Walter Van Enck

Trecho traduzido por: Cadu

Nota do Editor: A entrevista foi conduzida em 5 de Agosto de 2004 durante o Summer Camp comemorativo do 40º aniversário do New York Aikikai realizado na Universidade Colgate em Hamilton, New York.

Sensei, não queremos torturá-lo com muitas perguntas sobre seu início no Aikido, mas nem todos tem um pai que foi Dojo Cho no Hombu Dojo, portanto podemos fazer algumas perguntas sobre seu começo no Aikido? Quando o senhor começou o seu treinamento?

Eu tinha oito anos de idade. Estava na segunda série da escola elementar quando me matriculei no Hombu Dojo. Naquela época não havia aulas para crianças no Hombu então eu teria que praticar com os adultos. Meu pai pensou que eu poderia atrapalhar os mais velhos, então, um ano antes de iniciar os treinos, meu pai juntou nossos oito tatames e nos praticamos o básico em casa. Ikkyo waza, shohonage… somente nós dois praticando em casa por um ano. A memória de praticar em casa com meu pai ainda está viva pra mim mesmo não tendo certeza de poder chamar aquilo de treinamento ou Keiko.

Até mesmo quando eu realmente me tornei um membro do dojo, eu era tão jovem que sentia que estava indo para brincar com um mínimo de projeções de Aikido. Mesmo assim, posso dizer que meu treinamento começou naquela época, e que eu ingressei no Hombu quando tinha apenas oito anos de idade.

Ainda nessa época, o senhor tem quaisquer memórias dos instrutores que podem ter causado uma impressão mais forte?

Tendo somente oito anos, era mais como se eu fosse para o dojo para me diverter. Eu não tinha um conceito claro do treinamento e realmente não entendia muito sobre receber instruções de um sensei. No entanto, acredito que como meu pai era um aikidoista, os estudantes mais graduados e jovens sempais cuidavam muito bem de mim e me davam bastante atenção por eu ser filho do sensei deles. Tenho muitas memórias agradáveis de nossas brincadeiras. Portanto, aqueles jovens sempais são minhas melhores lembranças em oposição a ter um instrutor em particular que tenha sido significativo pra mim.

Quando o senhor era mais velho, digamos pré-adolescente – com dez ou onze anos, tem alguma memória dos instrutores que se tornaram os shihan´s norte-americanos?

Não tenho uma memória clara sobre quando Yamada Sensei ou Chiba Sensei deixaram o país, pois eu estava somente na 4ª ou 5ª graduação. Posso dizer o mesmo de Kanai Sensei.

Foi durante sua adolescência que decidiu perseguir o Aikido como um instrutor e possivelmente fazer disso sua profissão?

Continuei a praticar de modo dedicado durante meus anos universitários e eu queria continuar com o estilo de vida de poder treinar diariamente. Tinha que tomar uma decisão sobre como atingir isso. Tive a opção de trabalhar regularmente e então encontrar tempo para praticar, mas isso não seria o mesmo. A outra opção seria ingressar ao corpo de instrutores do Hombu Dojo. Minha motivação inicial foi poder continuar treinando. Na verdade eu não estava pensando em Aikido como um objetivo professional ou de me sustentar ensinando Aikido. Foi somente recentemente que eu entendi que isso é meu trabalho. Inicialmente eu só queria praticar. Não tinha idéia que minha vida seria a de um professor.

Gradativamente percebi que eu era um Aikidoista professional, que era responsável por liderar os estudantes e que ensinar era meu trabalho. Minha conscientização como um instrutor profissional de Aikido aconteceu depois deste fato. Agora que estou envelhecendo, sinto-me ainda mais responsável do que nunca. Fazer as coisas certas e realizar um trabalho profissional. De certo modo, meus alunos me fizeram um professor ao invés de eu querer me tornar um.

Como o senhor vê a evolução do Aikido nos últimos 20 anos na América e no Japão?

É difícil pra mim expressar meus sentimentos com exemplos concretos tanto no Japão quanto na América. Falando universalmente então, o Aikido está se tornando muito popular. Muitas pessoas praticam agora e algumas tomaram diferentes abordagens. É ótimo ver o Aikido se tornar tão popular, mas ainda me preocupo onde isso vai chegar como resultado deste rápido crescimento da comunidade Aikidoista.

Há muitas interpretações diferentes para o Aikido, inclusive a minha, mas me preocupo que a popularização do Aikido irá produzir algo diferente do objetivo original. Será difícil chamar este resultado de Aikido. Para o futuro, acredito ser crítica a responsabilidade dos instrutores de Aikido para preservar a autenticidade em suas instruções.

Para ler a entrevista completa em inglês, clique aqui.

4 opiniões sobre “Trecho de entrevista com Hayato Osawa Sensei

    • Realmente há pouco material sobre Osawa Sensei. Fucei bastante na NET pra achar essa entrevista… não pude deixar de compartilhar.
      Abração brother!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s